III Feira de Livros e Quadrinhos de Natal

Em sua sexta edição, a FLiQ é sucesso mais uma vez Postado por Oficina da Notícias | 17 de Novembro de 2016

A sexta edição da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal (FLiQ) chegou ao final no último domingo e já deixa saudades. Segundo dados da Fundação José Augusto, administradora da Cidade da Criança, mais de 10 mil pessoas visitaram a FLiQ durante os quatro dias de evento (10 a 13 de novembro).

Foram mais de 80 horas de programação divididos em mais de 40 atrações ao longo da Feira. Voltadas para diversas idades, as atividades incluíram palestras, oficinas, bate-papos, apresentações musicais e shows artísticos, produção de games, ao lado de lançamentos e vendas de livros, cordéis e de quadrinhos.

"Assim cumprimos mais uma vez o objetivo da feira ao levar e disseminar o gosto pela leitura, pelo conhecimento, pela educação, ao lado do divertimento, da música e do entretenimento de qualidade", avaliou Osni Damásio, organizador da Feira.

Um dos grandes marcos desta edição da FLiQ foi a presença e participação do ganhador do prêmio Jabuti deste ano, o ilustrador Rogério Coelho. Ele venceu na categoria de "Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil",  com a produção "Barco dos Sonhos", e também concorria em mais duas outras categorias com o livro "Loco Fuga". Ele recebeu a notícia da escolha do Prêmio durante a feira e comemorou com os seus amigos quadrinistas potiguares.

Em entrevista para a Tribuna do Norte, Rogério Coelho falou sobre a FliQ. "Lá no evento, foi muito legal a maneira de as pessoas se dirigirem. Não tem aquele cerimonial todo. As pessoas vêm, falam, dizem o que acharam. E, na sexta-feira, consegui fazer uma coisa que não tinha conseguido fazer em outros eventos: circular entre o público, as mesas, conversar com os outros autores".

Coelho ainda comentou a produção potiguar. "Tem uma produção muito legal aqui. Tem uma cena de quadrinhos grande, bem diversificada e desenhistas muito bons mesmo", afirmou.

Entre toda a programação da Feira, destacamos alguns momentos que abrilhantaram e fizeram especial mais essa edição da FLiQ. Veja abaixo:

- Vale-Livro dissemina produção potiguar pelo RN
Um dos principais destaques da FLiQ é a presença de professores e diretores da rede pública estadual visitando os estandes das livrarias e editoras. Visando utilizar o Vale-Livro para a compra de livros, eles circularam pela Feira inclusive no fim de semana para adquirir livros que vão complementar as bibliotecas de suas escolas. 

Segundo informações da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do RN, 325 escolas de oito diretorias regionais de educação (Dired´s) puderam conhecer autores, participar de debates e fazer as aquisições de acordo com os critérios de cada escola. O investimento em Natal girou em torno de R$ 470 mil.

Somados os alunos de todas as Dired´s que participaram da feira, os livros adquiridos beneficiaram mais de 150 mil estudantes, sendo 95 mil da Região Metropolitana de Natal. Cerca de 40% dos recursos investidos foram em livros de autores potiguares, valorizando a cadeia produtiva e criativa do Estado.

- Brazza com Antônio Francisco
O carinho já é mútuo entre esses dois artistas da palavra. Repetindo o encontro da Feira do Livro de Mossoró (FLM), o rapper e poeta Fabio Brazza não se cansa de destilar elogios ao cordelista mossoroense Antonio Francisco e pergunta no palco: "Como ele não é mais conhecido pelo Brasil afora?". Mas a verdade é que Antonio Francisco segue em frente com a sua arte. Recita, conta causos, até canta e entra na disputa da rima com Fabio Brazza. Se deixar, passa a noite no palco. Pena ter hora para fechar a Cidade da Criança, pois o encontro entre os dois é inesquecível, e quem não foi, perdeu essa pérola do encontro em o sul e nordeste, entre o Hip Hop e o Cordel.
 
- Affonso Solano "ataca" novamente
O escritor da literatura fantástica Affonso Solano agitou a noite de sábado da FLiQ. No bate-papo esperto dirigido pelo estudante e amante de literatura fantástica João Paulo Cirilo e o escritor também de literatura fantástica Sérgio Santos, foram discutidos o mercado e a produção da literatura fantástica, os detalhes da obra de Solano, a trajetória até se chegar a ser um escritor famoso, além dos próximos passos editoriais. E, claro, os participantes não deixaram de fazer perguntas polêmicas ao também Youtuber sobre os temas espinhosos do mundo das HQ´s e da literatura fantástica. Sempre cheio de estilo, Affonso Solano ainda presenteou os participantes com um momento dedicado a autógrafos e sessão de fotografias, entrando noite adentro.  

- Lançamentos de novos títulos
A FLiQ também é o espaço no qual os autores e editoras aproveitam para lançar novos títulos. A editora Comunique lançou os livros educacionais de cordel em ilustração  "Meu Amigo Paladar", escrito por Antonio Francisco e José de Castro, e com ilustraçoes de Brum. Manoel Cavalcante reapresentou o seu "Dorinha, a menina que venceu o Bullying". A Jovens Escribas lançou a adaptação para HQ do livro "Maldito Sertão", de Márcio Benjamin, reunindo um time de feras da ilustração potiguar. O autor Adriano Gomes lançou a "A Casa e a Velha", com ilustrações de Raíssa Bulhões. E as editoras Sebo Vermelho e da Fundação José Augusto também aproveitaram para trazer novos títulos ao público.  
 
- Ação da Casa das Palavras
No sábado (12/11), o projeto Casa das Palavras realizou uma ação especial durante a Feira. Foram convidados quatro artistas participantes da FLiQ para estilizarem quatro minibiliotecas. Em forma de casinhas, elas são utilizadas pelo projeto para abrigar os livros coletados por meio de doações. Os artistas foram a ilustradora Luiza de Souza, o artista urbano Augusto Furtado (Arbus), a ilustradora Raíssa Bulhões e o escritor e desenhista Iaperi Araújo. O resultado da ação foram casinhas supertransadas e, em breve, serão escolhidos os lugares definitivos para serem instaladas e, assim, receber e distribuir livros.  

- FLiQ Games traz os bastidores da criação de jogos
O espaço FLiQ Games repetiu o sucesso do ano passado e as crianças se divertiram muito com os jogos online disponibilizados pela Academia GamEdu, do Instituto Metrópole Digital. Ainda tiveram a oportunidade de acompanhar as palestras e oficinas de feras da computação gráfica orientada para a produção de games educacionais.

- Movimentação intensa no estandes dos Quadrinhos
A atividade foi intensa na área reservada aos quadrinistas e ilustradores com venda e troca de suas produções. Um dos pontos marcantes foi a presença do pessoal que compõe o coletivo GrupeHQ, responsável pela  produção da revista Maturi que completa 40 anos de surgimento. Ou seja, era um desfile de feras do mundo da HQ potiguar. Outros autores também mostravam muito orgulhosos a sua produção e também aproveitavam para bater papo sobre as novidades e resenhas dos mundos dos quadrinhos e do desenho. 
 
- Hora de aprender e se aperfeiçoar
A 6ª FLiQ também foi o momento de aprender novas atividades ou se aperfeiçoar nas técnicas dos participantes da Feira. A ilustradora Raíssa Bulhões realizou uma oficina sobre a arte Cartoon. O professor Eugênio Rangel agradou a todas as idades com a oficina de Origami. O artista urbano Augusto Furtado passou todos os conceitos de como se criar personagens para o graffiti, entre outros. O momento também foi de aprender a programar e usar melhor o celular para tirar fotos ou o Word e Excel nas palestras do Senac.

deixar comentário

1 Comentário

Demetrius 26 de Fevereiro de 2017

Amamos cultura.. livros sempre os livros parabéns pela matéria graficamundi.com

Comentário


enviar